Firmino, Pedrinho, Pepe… Por que craques de futebol saem tão cedo de AL? Profissionais do CRB opinam

Alagoanos de destaque costumam se profissionalizar fora do estado

Alagoas é uma fábrica de craques. Da terra de Zagallo, surgiram nomes como Aloísio Chulapa, Pepe, Morais, Roberto Firmino, Willian José, Otávio e Pedrinho.Todos eles saíram cedo do estado, ainda bem jovens.

Assim, o torcedor não teve o privilégio de ver esses garotos atuando profissionalmente nos clubes alagoanos. O GloboEsporte.com começa uma série de reportagens nesta sexta e analisa a base e a formação de novos atletas.

Dirigente responsável pelas categorias de base do CRB, Rodrigo Freire falou sobre o assunto. Ele admite que o futebol alagoano demorou a valorizar as suas jóias, mas destaca que essa realidade está mudando.

– Antigamente, os clubes não faziam contratos profissionais com os jogadores. Os garotos disputavam uma competição, se destacavam e o empresário chegava e seduzia o atleta. Qual o garoto em começo de carreira que não tem vontade de jogar num grande clube do futebol brasileiro? Como os meninos não tinham esse vínculo profissional, automaticamente, saíam facilmente do clube de origem.

O dirigente disse como o CRB tem trabalhado para impedir essa saída rápida dos garotos que se destacam na base.

– De forma geral, os clubes estão entendendo o mercado da base. Por isso que o jogador, às vezes, chegava ao sub-15, sub-17, se destacava e saía logo. Aqui no CRB, todo atleta que se destaca tem contrato profissional de, no mínimo, dois anos. Então hoje ele vai se profissionalizar pelo CRB porque já atingiu idade para isso e, consequentemente, o garoto tem que ficar no profissional.

CRB informa que garotos da base são monitorados desde o início da formação — Foto: Douglas Araújo/CRB

CRB informa que garotos da base são monitorados desde o início da formação — Foto: Douglas Araújo/CRB

Técnico da equipe sub-20 do Galo, Bebeto Moraes também comentou o tema. Ele enxerga uma evolução dos clubes.

– No passado, faltava uma visão dos clubes para valorizar os atletas da base, deixando os atletas muito vulneráveis a ações de empresários, por exemplo. Atualmente, a situação é diferente. Os atletas que mais se destacam assinam logo contratos.

“Outro fator é que a estrutura do CRB oferece aos atletas atualmente é uma forma de estimular os garotos a continuarem no clube”

Bebeto é um dos responsáveis por apontar as revelações do CRB — Foto: Bebeto Moraes/Arquivo pessoal

Bebeto é um dos responsáveis por apontar as revelações do CRB — Foto: Bebeto Moraes/Arquivo pessoal

O treinador comentou como os clubes devem trabalhar para evitar o assédio dos empresários.

– Para evitar o assédio dos agentes, cabe aos clubes se antecipar e assinar contratos profissionais com os destaques. No CRB, essa prática já acontece. Temos exemplos recentes de garotos revelados aqui que já assinaram seus contratos, gerando receita para o clube.

Portal GloboEsporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *